idosa sendo atendida por médico otorrinolaringologista - cuidados após manobra de epley

A manobra de Epley é utilizada para tratamento da VPPB de canal semicircular posterior, sendo altamente efetiva para a quase totalidade dos casos. O procedimento é realizado em consultório e, após a manobra, recomenda-se ao paciente evitar movimentos muito rápidos ou bruscos com a cabeça. 

Mesmo quando a manobra realizada em consultório elimina completamente os sintomas da doença, alguns pacientes ficam receosos com a possibilidade de desenvolver de novo a VPPB. É o seu caso?

Como você sabe, a Vertigem Posicional Paroxística Benigna, conhecida como “tontura dos cristais”, ocorre quando esses cristais (otólitos) se desprendem e ficam soltos dentro do nosso labirinto, órgão que influencia diretamente o nosso equilíbrio.

Os cristais detectam acelerações lineares da nossa cabeça, ajudando nosso cérebro a perceber quando estamos subindo ou descendo, ou se estamos andando para frente ou para trás. 

Soltos, porém, as informações geradas são prejudicadas e é, a partir daí, que o paciente passa a experimentar distorções em sua percepção espacial. O sintoma mais comum é a vertigem rotatória, que é a sensação de ver o ambiente girar.

A manobra de Epley atua na VPPB de canal semicircular posterior, que é o tipo mais comum da doença, e é efetiva em quase todos os casos. Cerca de 90% dos pacientes melhoram após uma única sessão.

Após o procedimento, é importante que o paciente tome alguns cuidados, embora não existam motivos para grandes preocupações. Vamos conversar um pouco sobre isso?

Conteúdo:

Que cuidados devem ser tomados após a manobra de Epley?

A manobra de Epley, ou manobra de reposicionamento canalicular, é realizada pelo médico otorrinolaringologista em consultório e consiste em movimentar a cabeça do paciente em uma série de posições específicas a fim de fazer com que o otólito desprendido retorne ao seu local de origem.

De maneira geral, após realizar a manobra, é recomendável que o paciente evite movimentos bruscos com a cabeça, como se abaixar ou se levantar rapidamente. 

Além disso, sempre peço ao paciente para que compareça ao consultório com um acompanhante quando for realizar o procedimento, pois, após a manobra, é possível experimentar um pouco de desequilíbrio, instabilidade e náusea. Esses sintomas, porém, podem ser aliviados por meio de medicação. 

Outras medidas podem ser recomendadas pelo médico, a depender das características de cada quadro, mas o tratamento é sempre restrito a manobras e cuidados no dia a dia.

Minha VPPB pode voltar?

Como dito, o tratamento da VPPB é bem-sucedido na maioria dos pacientes, entretanto, quadros recorrentes são observados em uma pequena parcela deles. Essas pessoas precisarão retornar ao otorrinolaringologista sempre que os sintomas retornarem.

Em alguns casos, a VPPB melhora espontaneamente após algumas semanas, mesmo sem a manobra de reposicionamento, mas é sempre recomendável procurar um médico para receber um diagnóstico confiável.

Essa é uma das causas mais comuns de tontura, e pode acontecer com pacientes de todas as idades. O tratamento é simples e muito efetivo, por isso, não há nenhuma razão para temer a doença.

O grande problema mesmo é não procurar ajuda ou utilizar medicações que não são efetivas para o tratamento do quadro. Muitas pessoas sofrem com tonturas por anos, se medicando por conta própria, sem saber que em uma única consulta médica poderiam se livrar desse incômodo.

Fiz a manobra de Epley, mas não melhorei. O que fazer?

Devo ressaltar que a manobra de Epley é indicada para casos de VPPB de canal semicircular posterior. Embora esse seja o mais comum, existem outros tipos de VPPB cujo tratamento exige outras manobras. O diagnóstico, portanto, deve ser preciso.

Outro ponto importante é que alguns pacientes podem necessitar retornar ao consultório para realizar a manobra novamente, embora a maioria apresente melhora completa com uma única sessão.

Há também a possibilidade de outras condições e doenças estarem relacionadas à tontura ou favorecendo a VPPB. O paciente deve observar se os sintomas após realizar a manobra são exatamente os mesmos de antes ou se há alguma mudança nas características da sua tontura.

Em todos os casos, se os sintomas persistirem ou retornarem, você deve retornar ao otorrinolaringologista para investigar o que está acontecendo e tomar as medidas corretas com base em seu diagnóstico.

A manobra de Epley, contudo, é o tratamento mais utilizado para a tontura dos cristais, dada a alta prevalência do tipo de VPPB a qual ela é indicada. O procedimento é rápido, simples e indolor, e exige poucos cuidados após a sua realização.

Para saber mais sobre a Vertigem Posicional Paroxística Benigna, confira o vídeo abaixo onde explico tudo sobre a doença, seu diagnóstico e tratamento.

 

Sobre a Dra Nathália:

Já segue a Dra Nathália no Instagram? Acompanhe as postagens e dicas da Dra sobre tontura e zumbido  

Agende uma consulta agora! A Dra Nathália está disponível para Teleconsultas ou consultas presenciais em São Paulo