Mulher ajustando aparelho auditivo - como funciona aparelho auditivo quanto custa

Os aparelhos auditivos são dispositivos essenciais para pessoas com quadros de perda auditiva, zumbido e hiperacusia. Sua compra deve ser orientada por um otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo, sendo também importante conhecer o seu funcionamento e as opções disponíveis.

Especialmente para pessoas que sofrem com perda auditiva, os aparelhos auditivos são fundamentais para garantir a produtividade e a qualidade de vida.

Esses dispositivos são projetados para melhorar a audição de pessoas com perda auditiva leve, moderada ou severa. Basicamente, eles captam o som do ambiente, o amplifica e o transmite para o ouvido, ajudando o usuário a perceber e compreender os sons de forma mais clara.

Por trás dessa aparente simplicidade, existem sistemas sofisticados, projetados para melhorar a capacidade de ouvir, mas também a qualidade de vida daqueles que enfrentam diferentes problemas auditivos.

Neste artigo, mostro o funcionamento dos aparelhos auditivos, os diferentes tipos disponíveis no mercado e para quem são indicados. Me acompanhe na leitura!

Conteúdo:

Como os aparelhos auditivos funcionam?

Os aparelhos auditivos são compostos por vários componentes e operam de maneira sofisticada, buscando restaurar a capacidade de ouvir daqueles que sofrem com algum nível de perda auditiva ou sintomas associados, como o zumbido no ouvido.

Nesses dispositivos, o microfone é o instrumento que capta as vibrações sonoras do ambiente circundante, convertendo essas vibrações em sinais elétricos com ajuda do amplificador, componente que potencializa a intensidade desses sinais.

Uma vez amplificados, os sinais elétricos são encaminhados para o receptor, que os converte em sons audíveis, tornando o som não apenas mais alto, mas também mais claro e compreensível para o usuário com audição limitada.

Normalmente, os aparelhos auditivos são alimentados por uma bateria, que fornece a energia necessária para o funcionamento contínuo do dispositivo. 

Quais são os principais tipos de aparelho auditivo?

Existem diversos tipos de aparelhos auditivos disponíveis no mercado, cada um com formatos específicos e tecnologias próprias. A seguir, você confere as principais opções disponíveis atualmente.

Aparelhos intra-auriculares (ITE)

Os aparelhos ITE são personalizados para se encaixarem dentro da orelha do usuário e podem parecer com um fone de ouvido sem fio — o que significa que são visíveis externamente e tendem a ser maiores, o que muitas vezes facilita o manuseio para algumas pessoas. 

São indicados para diferentes níveis de perda auditiva, de quadros leves a severos.

Aparelhos retroauriculares (BTE)

Esses são os mais conhecidos. Os aparelhos BTE são aqueles em que o microfone e o amplificador ficam atrás da orelha, conectados a um molde auricular com o receptor personalizado, que se encaixa dentro do canal auditivo. 

Os aparelhos BTE são mais discretos do que os ITEs e são indicados para perda auditiva leve, moderada e severa.

Aparelhos intra-canal (ITC)

O formato dos aparelhos ITC é parecido com os ITEs, porém menor. O seu grande atrativo é que se encaixam parcialmente dentro do canal auditivo, tornando-os menos visíveis e discretos. 

Eles são indicados para perdas auditivas leves a moderadas e oferecem ao usuário um equilíbrio entre discrição e desempenho.

Aparelhos microcanal (CIC)

Os modelos CIC são os mais discretos: ficam completamente dentro do canal auditivo, sendo quase imperceptíveis.

Assim como os ITC, são indicados para perdas auditivas leves a moderadas e, de certa forma, podemos dizer que oferecem uma experiência auditiva mais natural, uma vez que é posicionado mais próximo ao tímpano.

Para que e para quem os aparelhos auditivos são indicados?

Embora sejam especialmente indicados para pessoas com perda auditiva moderada a severa, os aparelhos auditivos atendem uma grande variedade de condições, incluindo pacientes com quadros leves e outras alterações auditivas.

Para pessoas que sofrem com zumbido — percepção de sons ​​sem uma fonte sonora externa —, os aparelhos auditivos são indicados não apenas para correção da perda auditiva, mas também para ajudar a reduzir a percepção do zumbido e melhorar o conforto do paciente no dia a dia.

Os dispositivos também são aliados importantes nos tratamentos com terapia sonora, que também é indicada para pessoas com sensibilidade aumentada a sons de intensidade moderada, um quadro chamado de hiperacusia.

O que você deve saber antes de comprar um aparelho auditivo?

Antes de tudo, devo deixar claro que as diferentes tecnologias e os modelos disponíveis têm aplicações específicas e os dispositivos necessitam de ajustes personalizados. Sendo assim, os aparelhos auditivos só devem ser comprados mediante a indicação de otorrinolaringologista, após a devida avaliação médica.

É também importante fazer um teste com o aparelho antes de adquiri-lo. Lojas especializadas costumam oferecer um período de teste.

Você também pode buscar informações com pessoas que já usam esses dispositivos, especialmente aquelas que já experimentaram diferentes tipos e modelos. Essa, inclusive, é uma forma de se motivar, tornar a sua adaptação mais fácil e superar estigmas — usar o aparelho não deve ser motivo de vergonha ou constrangimento.

Você também deve compreender que esse tipo de tecnologia está em constante evolução. Ou seja, os modelos mais recentes disponíveis oferecem recursos e funcionalidades aprimoradas em relação às versões mais antigas, e você pode querer atualizar o seu ao longo do tempo.

Quanto custa um aparelho auditivo?

Os preços dos aparelhos auditivos podem variar significativamente, dependendo de diversos fatores, como o modelo, tipo de tecnologia, recursos adicionais, marca e local de compra.

No contexto brasileiro, é importante reconhecer que os aparelhos auditivos podem ter um custo considerável. Além disso, deve-se considerar que são produtos que necessitam de manutenção e assistência técnica, bem como o acompanhamento de profissionais de saúde.

Nesse sentido, vale destacar que o SUS (Sistema Único de Saúde) fornece aparelhos auditivos gratuitamente por meio do seu programa de saúde auditiva. Você deve procurar uma unidade de saúde pública da sua região para saber os requisitos para entrar na fila de beneficiários.

Ressalto que a compra de um aparelho auditivo não deve ser feita de forma indiscriminada, mas sim precedida do acompanhamento médico com otorrinolaringologista ou otoneurologista e fonoaudiólogo, profissionais habilitados para realizar o diagnóstico do paciente e indicar o modelo e a tecnologia mais adequadas.

Este artigo fica por aqui. Eu sou Nathália Prudencio, médica otoneurologista, e se você deseja saber mais sobre mim e sobre o meu trabalho, acesse meu perfil no Instagram e meu canal do YouTube!

 

Sobre a Dra Nathália:

Já segue a Dra. Nathália no Instagram? Acompanhe as postagens e dicas da Dra. sobre tontura e zumbido:  

Agende uma consulta agora! A Dra Nathália está disponível para teleconsultas ou consultas presenciais em São Paulo: